Hora certa:
 

  • edição 206

Acontece

Já ouviu falar em Síndrome Maníaca?

O mundo não espera para que você melhore, mas deveria. Diagnosticar a saúde mental é uma tarefa árdua, e profissionais qualificados estudam cada vez mais para entender todas essas nuances, as quais especialistas relatam em livro

Ouvimos falar em bipolaridade, depressão e transtornos que já são difíceis de entender, mas pouco se fala da Síndrome Maníaca. Os psiquiatras e pesquisadores da Universidade de São Paulo, Dr. Diego Freitas Tavares e Dr. Ricardo Alberto Moreno, trazem informações valiosas sobre este diagnóstico na obra 'Depressão e Transtorno Bipolar: A complexidade das doenças afetivas' (Selo Vital – Editora Pandorga). Tais como:

1. A Síndrome Maníaca é o quadro mais intenso e persistente de sintomas decorrentes de desregulação cerebral.

2. A enfermidade leva à ativação do humor, da energia, dos impulsos, do pensamento e da psicomotricidade.

3. Pode ser primária, ou seja, quando aparece espontaneamente e é decorrente de uma alteração no funcionamento do próprio cérebro.

4. Ou pode se apresentar de forma secundária, que é quando decorre de alterações no cérebro, mas como uma consequência de doenças em outros órgãos do corpo e/ou do uso de substâncias ou medicamentos.

5. Quando os sintomas ocorrem exclusivamente no sentido maníaco (ativação), é denominada Síndrome Maníaca Pura ou simplesmente Síndrome Maníaca.

6. Porém, pode ocorrer concomitantemente a alguns sintomas do polo oposto depressivo (lentificação), o que é chamada de Maníaca Mista.

 7. Sintomas mais comuns: humor expansivo e euforia; disposição e energia fora do comum; aumento da autoestima com grandiosidade; aumento no fluxo de pensamentos; maior impulsividade; e agitação física.

8. O diagnóstico é clínico, por meio de consulta psiquiátrica onde será investigado se a pessoa possui aquelas alterações de comportamento que são descritos como sintomas da doença.

9. Já o tratamento é com medicamentos chamados estabilizadores de humor, como, por exemplo, lítio, ácido valpróico, risperidona, aripiprazol.

10. A melhora é avaliada por meio do retorno da pessoa ao seu estado habitual e, com isso, acontecerá o desaparecimento dos sintomas.

 Ficha Técnica:

Depressão e Transtorno Bipolar

Autores: Diego Freitas Tavares e Ricardo Alberto Moreno

ISBN: 978-65-87140-66-7

Formato: 16cm x 23cm

Páginas: 176 páginas

Acabamento: Brochura

 Sobre os autores: Dr. Diego Freitas Tavares é médico psiquiatra e doutor em Medicina pela Universidade de São Paulo (USP). Coordena o Ambulatório Integrado de Bipolares do Grupo de Estudos de Doenças Afetivas (FMUSP) e o Programa de Transtornos Afetivos (FMABC). É também pesquisador no Serviço Interdisciplinar de Neuromodulação e Estimulação Magnética Transcraniana (FMUSP).

Dr. Ricardo Alberto Moreno é médico psiquiatra e doutor em Medicina pela Universidade de São Paulo (FMUSP), além de professor da Pós-graduação e do Departamento de Psiquiatria e diretor/fundador do Programa de Transtornos Afetivos do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, todos na mesma instituição.

 



 

UPpharma on-line: publicação dirigida a médicos, prescritores e profissionais da saúde


(11) 5533-5900 – uppharma@uppharma.com.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim UPpharma on-line é de responsabilidade de cada um dos autores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial, sem a expressa autorização da DPM Editora.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail uppharma@uppharma.com.br . Qualquer dúvida, ou dificuldade de navegação, poderá ser atendida pelo serviço de suporte UPpharma on-line pelo e-mail: uppharma@uppharma.com.br

Seu IP: 34.204.169.230 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)