Hora certa:
 

  • edição 206

Artigos

O uso de fitocanabinoides nos processos inflamatórios crônicos

A incrível capacidade do ser humano em responder aos estímulos inflamatórios é, de longe, uma das principais maneiras de ilustrar o quão inteligente é o nosso organismo. A sinalização de uma lesão celular é o fator que desencadeia a inflamação, quer seja uma lesão química provocada por medicamentos, física quando ocorre um corte na pele ou biológica por ação de bactérias, por exemplo. Esse ferimento ativa inúmeros mecanismos anti-inflamatórios do próprio organismo como forma de defesa.

O corpo humano responde aos estímulos através da apresentação de sinais que incomodam, estes sinais são caracterizados como dor, calor, vermelhidão, inchaço e perda da função. Sempre que há um dano no organismo, o próprio corpo humano busca formas de reparar o dano sofrido e assim, contribuir para o restabelecimento do equilíbrio (homeostase), no entanto, faz-se necessário compreender a causa da lesão celular responsável pela inflamação, para resolução do problema de modo parcial ou total.

A dor é o primeiro sinal evidente num processo inflamatório e, geralmente, o primeiro a ser percebido por nós de que há uma alteração no organismo. Temos o costume de querer um alívio imediato, com isso recorremos a anti-inflamatórios nas farmácias e drogarias, na perspectiva de resolver o problema de saúde em questão. Porém, acabamos negligenciando os demais sinais e principalmente, esquecemos de investigar a causa da lesão celular sofrida.

O acesso livre desses medicamentos, sem a devida avaliação de um profissional farmacêutico, colabora ainda mais o uso irracional de medicamentos, o que não configura uma prática de promoção e recuperação da saúde, mas sim, um ato de automedicação capaz de ampliar os problemas de saúde dos pacientes com inflamação.

Assim, a forma correta de cuidar desse problema é procurar a avaliação de um clínico para identificação do processo inflamatório e atribuí-lo a uma patologia dentre as quais a inflamação se faz presente. Assim, o especialista irá conseguir informar qual o tipo de dor o paciente está sentindo, seja: dor aguda ou crônica, além de avaliar os demais sinais cardinais da inflamação.

O Sistema Endocanabinoide (SEC) é um dos mais variados sistemas do corpo humano envolvidos no processo inflamatório, inclusive para corrigir a lesão em tecidos e o composto endocanabinoide presente no nosso corpo, anandamida (AEA), é a substância responsável por este reparo. Para ilustrar esse fenômeno, pesquisadores publicaram no Brazilian Journal Of Pain Cannabis and Cannabinoids, um estudo científico o qual evidenciou que, quando os níveis de AEA se eleva ocorre a remodelação do sistema imunológico diminuindo a liberação de compostos, conhecidos como sinalizadores da inflamação, desta forma, ocorre a diminuição da inflamação e consequentemente da dor.

Por fim, o fitocanabinoide, por exemplo, o canabidiol (CBD), é uma molécula encontrada na planta medicinal Cannabis sativa L. e tem papel biológico muito similar ao endocanabinoide (AEA). Um estudo clínico publicado na Postgraduate Medicine revista médica revisada mostrou que após a utilização deste fitocanabinoide, os pacientes reduziram e em alguns casos, eliminaram o uso de opioides dentro de oito semanas de terapia. O uso de produtos a base de Cannabis medicinal pode promover qualidade de vida aos pacientes que sofrem de processos inflamatórios crônicos.


Prof. Msc. Daniel Pereira, Medical Science Liaison – MSL, Mestre em tecnologia química nuclear aplicações, Docente universitário do curso de graduação e pós-graduação em farmácia, e Fundador do curso de aperfeiçoamento em ciências farmacêuticas e fitoterápicas.

UPpharma on-line: publicação dirigida a médicos, prescritores e profissionais da saúde


(11) 5533-5900 – uppharma@uppharma.com.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim UPpharma on-line é de responsabilidade de cada um dos autores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial, sem a expressa autorização da DPM Editora.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail uppharma@uppharma.com.br . Qualquer dúvida, ou dificuldade de navegação, poderá ser atendida pelo serviço de suporte UPpharma on-line pelo e-mail: uppharma@uppharma.com.br

Seu IP: 34.204.169.230 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)