Hora certa:
 

  • edição 206

Atualidades

Cardiologista dá 6 dicas para manter a pressão arterial sob controle

"Pressão alta" é o principal fator de risco para doenças cardiovasculares, como acidente vascular cerebral (AVC), infarto agudo do miocárdio, doença renal crônica, insuficiência cardíaca e morte prematura

Segundo dados da SOCESP (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo), estima-se que 33% da população brasileira adulta seja hipertensa. Considerando quem tem mais de 60 anos, este percentual gira em torno de 65%; entre 30 e 50% dos brasileiros desconhecem o diagnóstico e, dos que sabem, apenas 20% estão com o quadro controlado.

"A hipertensão arterial, também conhecida como pressão alta, é uma das doenças que mais mata na atualidade", afirma Dr. Marco Mota, cardiologista e consultor da Omron Healthcare Brasil. Por se tratar de uma condição muitas vezes assintomática, ela costuma evoluir com alterações estruturais e funcionais em órgãos como coração, cérebro, rins e vasos sanguíneos. "Por isso, é o principal fator de risco para doenças cardiovasculares, como acidente vascular cerebral (AVC), infarto agudo do miocárdio, doença renal crônica, insuficiência cardíaca e morte prematura.

Dr. Mota ressalta que, embora seja perigosa e traiçoeira, a hipertensão arterial é uma doença evitável. "Para mantê-la sob controle é preciso cuidar do entorno do indivíduo, levando-o a tomar algumas precauções ligadas à qualidade de vida", explica o cardiologista. O especialista preparou uma lista com cinco dicas para evitar a evolução do quadro de hipertensão. Confira:

1 - Menos sódio e mais potássio na alimentação

Consumir muito sal faz mal para o organismo, uma vez que o tempero é rico em sódio. Seu excesso pode causar sérios problemas de saúde, entre eles o aumento da pressão arterial. O grande problema é que o sódio está presente em produtos industrializados (mesmo os de sabor doce) e integra a formulação de conservantes (nitrito de sódio e nitrato de sódio), adoçantes (ciclamato de sódio e sacarina sódica), fermentos (bicarbonato de sódio) e realçadores de sabor (glutamato monossódico).

No Brasil, recomenda-se a ingestão de 2 gramas de sódio por dia, mas de acordo com uma pesquisa da Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia), o brasileiro consome em média 4,5 g de sódio diariamente. Portanto, é fundamental reduzir o sal e evitar alimentos industrializados. "Leia sempre o rótulo dos alimentos para ter certeza do que está consumindo", alerta o médico.

Já o potássio é um nutriente importante para a função celular no corpo. Mas, de acordo com as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS), atualmente, a maioria das pessoas o consome pouco por dia. Alimentos como abacate, banana, batata-doce e folhas de coloração verde-escura podem ser grandes aliados para fornecerem este nutriente.

2 - Fique atento ao sobrepeso

O sobrepeso e a obesidade são fatores de risco para a elevação da pressão arterial. Segundo um estudo publicado pela instituição norte-americana National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Diseases (NIDDK), a prevalência da hipertensão arterial cresce de acordo com o aumento do Índice de Massa Corpórea (IMC), cálculo utilizado para avaliar se o peso de um indivíduo está dentro de limites saudáveis. Portanto, fique atento aos sinais de sobrepeso.

3 - Exercite-se

Fazer exercícios físicos diminui o percentual de gordura corpórea, auxilia nos níveis de colesterol e glicemia, fortalece a estrutura óssea e muscular e melhora a condição cardiovascular do indivíduo. "A prática regular de atividades físicas pode ajudar no tratamento para hipertensão a base de remédio ou até mesmo reduzí-lo. Os exercícios devem ser de intensidade moderada, como caminhadas de sete dias na semanas por 60 minutos de duração", recomenda Dr. Mota.

4 - Não exagere na bebida alcoólica

O álcool prejudica o controle da pressão arterial. Segundo o cardiologista, o maior problema são as quantidades ingeridas. "O consumo excessivo de bebida alcoólica eleva a pressão sanguínea e está associado a maior risco de morte por doenças cardíacas", diz. Ele recomenda que as pessoas que consomem bebidas alcoólicas o façam de maneira moderada, o que corresponde ao limite de uma dose diária para mulheres e duas para homens, considerando-se como dose uma garrafa pequena (long neck) ou lata de cerveja, uma taça de vinho ou uma dose de 50 ml de bebida destilada, sendo desaconselhado o consumo rotineiro.

5 - Pare de fumar

Embora não seja determinante, quando somado a um quadro de hipertensão, o cigarro duplica a intensidade da doença. "A hipertensão ocorre quando a força com que o sangue é bombeado pelo coração bate na parede do vaso sanguíneo. O tabagismo endurece essa parede. E sendo assim, se a parede é 'dura', a pressão arterial aumenta", afirma o cardiologista. Portanto, se você é hipertenso, fuja do cigarro.

6 - Tenha um medidor de pressão em casa

Com os avanços tecnológicos, hoje em dia é possível aferir a pressão em casa, a partir de um dispositivo confiável e com alta taxa de precisão, como os da Omron, que são referência em qualidade. "Recomendo sempre que toda família tenha um medidor de pressão em casa para conferir a pressão sempre que haja necessidade. Esta é uma medida que pode ajudar muito no controle da hipertensão", finaliza o médico.


 

UPpharma on-line: publicação dirigida a médicos, prescritores e profissionais da saúde


(11) 5533-5900 – uppharma@uppharma.com.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim UPpharma on-line é de responsabilidade de cada um dos autores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial, sem a expressa autorização da DPM Editora.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail uppharma@uppharma.com.br . Qualquer dúvida, ou dificuldade de navegação, poderá ser atendida pelo serviço de suporte UPpharma on-line pelo e-mail: uppharma@uppharma.com.br

Seu IP: 34.204.169.230 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)