Hora certa:
 

Noticias

Fimose infantil: entenda como lidar com a situação e os cuidados necessários

A família e médicos sempre devem estar atenta à saúde das crianças e, no caso de pessoas do sexo masculino, algo que sempre deixa dúvidas é a fimose, condição genética em que a pele que cobre a ponta do pênis é estreita, dificultando ou impossibilitando a exposição da glande. Mas, por que grande parte dos meninos nascem com ela? 

O médico pediatra e professor do curso de Medicina do Centro Universitário de João Pessoa – Unipê, Bruno Leandro, explica que a maioria (97% de nascidos, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia – SBU) nasce com a fimose devido ao desenvolvimento natural do prepúcio (pele que cobre o pênis). 

A fimose costuma desaparecer naturalmente à medida que a criança cresce. Normalmente, a exposição completa da glande ocorre entre os 3 e 5 anos de idade, mas há casos nos quais há necessidade de cirurgia. 

“O procedimento para a retirada pode ser necessário quando há problemas de saúde, como infecções recorrentes do trato urinário, dificuldade para urinar ou no caso dos adultos, dor durante a ereção.” 

“Além disso, a cirurgia na infância pode ser recomendada em situações em que a abertura do prepúcio é muito estreita e não se resolve naturalmente ao longo do tempo. Se tratando das crianças, o médico especialista avaliará a necessidade com base nos sintomas e no grau da fimose”, completa o médico pediatra e professor do curso de medicina do Unipê. 

A cirurgia para corrigir a fimose na infância é geralmente realizada sob anestesia geral ou local. O procedimento envolve a remoção cirúrgica do excesso de pele prepucial ou uma incisão para alargar a abertura do prepúcio, dependendo do caso. 

Puxar a pele durante o banho é uma boa ideia? 

Leandro informa que esse ato não deve ser realizado. “Não é recomendado puxar a pele durante o banho da criança, pois isso pode causar dor, irritação e até lesões. A higiene adequada deve consistir em limpar delicadamente a região externa do pênis com água e sabão neutro”, sugere. 

Para quem passa pela cirurgia, o especialista ressalta o dever de garantir que a criança mantenha a área limpa e seca, evitando atividades intensas por um período determinado, além de administrar corretamente os medicamentos prescritos. 

Por fim, o pediatra diz que: “É importante lembrar que cada caso é único, e é fundamental consultar um médico especialista para obter um diagnóstico preciso e obter as orientações adequadas sobre a fimose e seus tratamentos”. 

 

UPpharma on-line: publicação dirigida a médicos, prescritores e profissionais da saúde


(11) 5533-5900 – uppharma@uppharma.com.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim UPpharma on-line é de responsabilidade de cada um dos autores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial, sem a expressa autorização da DPM Editora.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail uppharma@uppharma.com.br . Qualquer dúvida, ou dificuldade de navegação, poderá ser atendida pelo serviço de suporte UPpharma on-line pelo e-mail: uppharma@uppharma.com.br

Seu IP: 44.223.39.67 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)