Hora certa:
 

Noticias

Internações por trombose no Brasil chegam a casa de 165 por dia

Recentemente, o Brasil bateu recorde de internações em decorrência da trombose venosa, aumentando o alerta e a preocupação com esta doença vascular potencialmente grave. Estudo feito pela Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV) com dados do Ministério da Saúde, mostrou que em 2023 uma média de 165 pessoas foram hospitalizadas diariamente na rede pública para receber tratamento contra a trombose. Além disso, mais de 489 mil brasileiros foram internados em decorrência da condição entre 2012 e no ano passado.

Em um cenário mundial, estima-se que a trombose afete cerca de 1 em cada 1.000 pessoas, segundo dados recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS), mas afinal o que é a trombose e como tratá-la?

A trombose é caracterizada pela formação de coágulos sanguíneos nas veias, frequentemente identificada na região das pernas, tendo como principais sintomas dor e inchaço nas pernas, que podem evoluir para complicações mais graves, como a embolia pulmonar. Para identificar a trombose, existem alguns sinais que podem ser notados:

Inchaço e dor na região do coágulo;
Vermelhidão e calor excessivo no local afetado;
Sensação de peso na região;
Rigidez na musculatura.
A especialista em Cirurgia Vascular e membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV), Carol Mardegan, destaca que ao identificar estes sinais adjuntos aos sintomas comuns, é imprescindível procurar por ajuda especializada. "Buscar acompanhamento médico é essencial e, depois do diagnóstico feito pelo médico, é fundamental continuar o tratamento", explica.
 
Para quem tem histórico familiar e quer se prevenir, Carol dá algumas dicas. "A prevenção é igualmente necessária ao acompanhamento médico, para isso, evitar o sobrepeso, o consumo excessivo de álcool, tabagismo e o colesterol alto são opções ideais para quem não quer lidar com a trombose no futuro", salienta a especialista.
 
Já para os portadores da trombose que pretendem conviver melhor com a condição, a especialista também tem orientações. "Agora, com o verão e com as altas temperaturas, os sintomas tendem a ser potencializados, assim como acontece com as varizes. Se manter hidratado, utilizar meias elásticas, roupas e calçados confortáveis e tentar ao máximo se manter em movimento, podem amenizar as dores e ajudar durante o dia-a-dia", diz Carol.
 
A especialista ainda alerta para o risco de agravamento dos sintomas durante viagens longas. Segundo a cirurgiã, o longo período sentado em viagens faz com que a circulação sanguínea fique mais lenta, aumentando o risco de formação desses coágulos e, consequentemente, agravando as dores.
 
Em viagens de carro, como reduzir os sintomas?
 
Para reduzir a incidência dos sintomas da trombose durante viagens de carro, a especialista recomenda algumas medidas simples. "Faça paradas a cada duas horas para esticar as pernas e caminhar por alguns minutos. Movimente os pés e as pernas durante o trajeto e evite apertar as pernas ou cruzá-las durante muito tempo", indica Mardegan.
 
E em viagens aéreas, como sentir menos dores?
 
Já em viagens aéreas, onde o tempo prolongado sentado é ainda maior, a especialista sugere algumas estratégias adicionais para aliviar os sintomas. "Além de movimentar as pernas regularmente durante o voo, é importante usar meias de compressão elástica, que ajudam a estimular o fluxo sanguíneo. Também é recomendado evitar o consumo excessivo de álcool e se manter hidratado durante a viagem", orienta a especialista.
 
A prevenção é fundamental para evitar complicações relacionadas à trombose. Portanto, se você está planejando uma viagem longa agora no final do ano, seja de carro ou avião e sofre com a trombose, tente ao máximo manter o acompanhamento médico antes das viagens. Cuide da sua saúde e desfrute de uma viagem segura e confortável.

UPpharma on-line: publicação dirigida a médicos, prescritores e profissionais da saúde


(11) 5533-5900 – uppharma@uppharma.com.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim UPpharma on-line é de responsabilidade de cada um dos autores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial, sem a expressa autorização da DPM Editora.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail uppharma@uppharma.com.br . Qualquer dúvida, ou dificuldade de navegação, poderá ser atendida pelo serviço de suporte UPpharma on-line pelo e-mail: uppharma@uppharma.com.br

Seu IP: 44.210.83.132 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)