Hora certa:
 

Noticias

Pressão baixa aumenta risco de desenvolver glaucoma, diz estudo

A pressão baixa aumenta o risco de desenvolver glaucoma de ângulo aberto. Além disto, a hipotensão também eleva a chance de progressão da doença. Esta foi a conclusão de um artigo publicado, recentemente, no periódico científico Ophthalmology.

Ao longo dos anos, outros estudos apontaram que a pressão baixa, principalmente a diastólica, aumenta o risco de 2 a 6 vezes de o glaucoma progredir. A diferença dos dados anteriores para os deste estudo é que foi demonstrado um efeito direto da pressão arterial na perda de células nervosas da retina.

Segundo Dra. Maria Beatriz Guerios, oftalmologista geral e especialista em glaucoma, os dados deste estudo apontam que alguns aspectos da pressão arterial podem também ser um fator de risco modificável, tanto para prevenir o glaucoma como para impedir sua progressão.

“É interessante dizer que em muitos casos o glaucoma progride, mesmo que a pressão intraocular esteja controlada. Desta maneira, é importante investigar se o paciente apresenta sinais de hipotensão. Uma das principais causas de pressão baixa é o uso de medicamentos para hipertensão de forma inadvertida. Mas há pacientes que apresentam níveis mais baixos de pressão arterial por outros motivos”, reforça a médica.

De olho na pressão diastólica

A pressão arterial (PA) é a medida da força que o sangue precisa para circular nos vasos e chegar aos órgãos. A medida ideal da PA é de 12 por 8. A primeira medida é a pressão sistólica, que se refere à força do sangue contra as paredes das artérias durante a contração dos ventrículos. É durante a sístole que o sangue é enviado para o resto do corpo a partir do coração. A PA sistólica é a primeira medida que vemos quando se afere a pressão.

Já a pressão diastólica mede a força do sangue contra as artérias durante o relaxamento do coração. A diástole, portanto, é o momento em que o coração relaxa e a artéria coronária fornece sangue ao coração. A PA diastólica é o segundo número na leitura da pressão.

A pressão é considerada baixa quando a leitura fica por volta ou abaixo de 9 por 6. O grande perigo da hipotensão é a falta de oxigenação nos órgãos e sistemas do corpo humano, incluindo a retina e o nervo óptico.

Sintomas podem passar despercebidos  

A hipotensão repentina pode causar sintomas mais evidentes. Porém, algumas pessoas não apresentam sintomas ou ainda desconhecem as manifestações da pressão baixa. Entre os sinais e sintomas mais comuns da hipotensão estão:

Tontura
Taquicardia
Visão embaçada
Náuseas e/ou vômitos
Sensação de desmaio
Cansaço e fadiga
Sonolência
Palidez
Perda de equilíbrio
Dificuldade para se concentrar e confusão mental

Pressão baixa e glaucoma: será um fator de risco modificável ?

“Certamente novos estudos são necessários para levantar outros fatores de risco para o glaucoma. Mas, a partir dos dados que já existem, como os deste estudo, podemos expandir nossos conhecimentos e incluir a hipotensão como uma das possíveis causas da progressão do glaucoma ou ainda como um fator de risco para o desenvolvimento da doença”, adiciona a oftalmologista.

“Nestes casos, a recomendação é encaminhar pessoas com hipotensão para uma triagem oftalmológica mais precoce. Outro aspecto é investigar pacientes que apresentam progressão da doença, mesmo com a pressão intraocular controlada”, finaliza Dra. Maria Beatriz.
 

UPpharma on-line: publicação dirigida a médicos, prescritores e profissionais da saúde


(11) 5533-5900 – uppharma@uppharma.com.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim UPpharma on-line é de responsabilidade de cada um dos autores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial, sem a expressa autorização da DPM Editora.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail uppharma@uppharma.com.br . Qualquer dúvida, ou dificuldade de navegação, poderá ser atendida pelo serviço de suporte UPpharma on-line pelo e-mail: uppharma@uppharma.com.br

Seu IP: 34.204.169.230 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)