Hora certa:
 

Noticias

Estudo inédito comprova que posologia influencia na adesão ao tratamento do colesterol ruim (LDL)

O sucesso no controle de condições crônicas depende de alguns fatores, entre eles a adesão do paciente ao tratamento, que é quando o indivíduo segue à risca a prescrição e demais orientações do médico sem falhar. No caso do LDL-c (colesterol ruim) a má adesão ao tratamento usual com estatinas está associada ao não atingimento das metas seguras, principalmente nos pacientes com doença cardiovascular aterosclerótica (ASCVD). Como consequência, a doença evolui, aumentando a morbidade, a mortalidade dos pacientes, e o risco de um segundo evento. 

Pela primeira vez, dados de mundo real (com pessoas já em tratamento) indicam uma mudança de chave que pode ajudar médicos e pacientes a superarem o desafio da adesão. Estudos de revisão anteriores indicam que entre 40% e 70% dos pacientes descontinuam a terapia
 com estatinas, o que é ainda mais comum em pacientes mais velhos, aumentando seu risco cardiovascular. 

Um estudo norte-americano, baseado no banco de dados Komodo Health, comparou a adesão de um grupo de pacientes ao tratamento contra LDL-c, utilizando como base três medicamentos: inclisirana, arlirocumabe e evolocumabe. Do total de 42.826 participantes maiores de 18 anos, 981 faziam uso de inclisirana, 11.330 de alirocumabe e 30.515 de evolocumabe. Foram considerados elegíveis ao estudo pacientes com 12 meses de envolvimento ininterrupto em uma das três terapias citadas, antes da data-índice, iniciada em  01/01/22 e 6 meses após o encerramento da data-índice1, em 31/10/2022.

O cálculo da adesão ao tratamento foi estabelecido pela proporção de dias cobertos (PDC) pelo medicamento divididos pelo período de observação (6 meses após a data-índice)1. A má adesão  foi definida como PDC 80%). A adesão com alirocumabe e evolocumabe, administrados a cada 2 semanas ou 1 vez ao mês, foi de 51% e 48,6%, respectivamente. 

"Quando falamos em LDL-colesterol, que se trata de uma doença silenciosa, a assiduidade ao tratamento é fundamental para o atingimento das metas. Esse tipo de estudo é importante, pois ele comprova que diferentes posologias podem interferir na adesão dos pacientes
 ao tratamento. Essa pode ser uma mudança de chave muito importante para a luta contra o LDL-colesterol", disse o cardiologista do InCor, Dr. Sergio Timerman. 

No Brasil, anualmente ocorrem cerca de 400 mil mortes relacionadas a doenças cardiovasculares – número maior do que todas as mortes por cânceres somadas. Esses eventos têm a aterosclerose (acúmulo de gordura nas paredes dos vasos sanguíneos, principalmente
 causada pelo colesterol ruim (LDL) alto) como uma de suas principais causas.  

Socesp 

O estudo foi apresentado durante o 44o Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp). O simpósio para médicos, promovido pela Novartis, visou aprofundar o tema e discutir os desafios do tratamento do LDL-c com a participação dos cardiologistas
 Sergio Timerman e os pesquisadores internacionais Scott Wright e Maciej Banach. 

*a partir da segunda dose 

 

 

UPpharma on-line: publicação dirigida a médicos, prescritores e profissionais da saúde


(11) 5533-5900 – uppharma@uppharma.com.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim UPpharma on-line é de responsabilidade de cada um dos autores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial, sem a expressa autorização da DPM Editora.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail uppharma@uppharma.com.br . Qualquer dúvida, ou dificuldade de navegação, poderá ser atendida pelo serviço de suporte UPpharma on-line pelo e-mail: uppharma@uppharma.com.br

Seu IP: 100.28.0.143 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)